Be Good

Loading...

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Nossos Caminhos...

Comentário que fiz sobre a crônica "Por onde anda" escrita por meu talentoso amigo Cesar Cruz.
Vale a pena conferir: 
http://oscausosdocruz.blogspot.com/2009/04/por-onde-andara.html


29/04/09


Pois é Cesinha, realmente tem gente que faz a diferença em nossas vidas...

São pessoas especiais, não somente pelo que fizeram ou pelo que são, mas principalmente pelo que significaram... daí a beleza da coisa! Se tornam uma referência na nossa caminhada, muitas vezes sem nem saber da importância que tiveram.

É gente que, com uma história, uma palavra, um gesto, ou um olhar nos ajudam a nos completarmos... a nos aperfeiçoarmos.

Com isso não afirmo que nos tornamos completos ou perfeitos a partir do relacionamento com o outro, mas que nos tornamos menos incompletos e menos imperfeitos por que temos quem, de alguma forma, nos inspire.

“Por onde andará” quem já andou comigo? A quem andará inspirando?

Vamos nos aproveitar enquanto caminhamos juntos.

Um abraço

do amigo

G

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Entre Sapos e Jacarés

Comentário que fiz sobre a crônica "Inacreditáveis Gentilezas" escrita por meu talentoso amigo Cesar Cruz.
Vale a pena conferir:
http://oscausosdocruz.blogspot.com/2009/04/inacreditaveis-gentilezas.html




23/04/2009


Oi Cesinha...


Há algum tempo atrás, olhando no espelho, vi que eu tenho cara de bobo. Imediatamente tomei uma decisão: Vai ser pra uso próprio! Não vou deixar que ninguém faça uso dela.


A partir desse dia, eu decidi que escolheria os sapos que engoliria... porque afinal, quando a gente decide ser gentil, a gente decide por engolir esses pequenos e jeitosos anfíbios.


Decidi também que engoliria até grandes jacarés (e tenho engolido alguns bem calibrosos) sempre que escolhesse engoli-los...


O problema é que o resto do mundo não sabia desta minha decisão e não colaborou nadica de nada com o meu dia-a-dia.


Confesso que algumas vezes só percebi que havia engolido o batráquio quando ele já se encontrava confortavelmente instalado em meu estômago. Porém houve vezes que cheguei a me engasgar com o tamanho do rabo do jacaré que tive que mandar goela abaixo...


Depois de quase vinte anos dessa decisão, ainda sinto o gosto de alguns desses que se tornaram meus companheiros de jornada.


Mas tenho que confessar... não me arrependo... mesmo daqueles que entraram forçadamente...


Prefiro ser assim, um engolidor de sapos e jacarés semi-profissional com o estômago cheio e pesado por causa desses anfíbios e répteis, mas com a consciência bem levinha, ao ponto de poder dormir bem tranquilamente a noite... ao som dos coachares.


Um abraço


do amigo


G


.