Be Good

Loading...

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Boas Notícias!

Acompanhando o que a Lena publicou no blog dela, publico este texto que enviei para parentes e amigos (e publiquei no orkut) quando a Duda chegou:

Na última quarta-feira (24/02) recebi um telefonema da Lena no meio de um evento... Como estava ocupado e ela insistia em ligar, pedi para o meu sócio João atendê-la. Ele chegou até mim mais branco que um papel e me disse meio assustado: “A Lena disse que ligaram do Fórum e eles querem saber se vcs querem ir até lá pra conhecer o histórico de uma criança de 1 ano e 5 meses.”

Quase tive um treco. Meu coração quase se derramou pelos meus olhos: “Fala pra ela dizer que SIM!” – quase não me saíram as palavras.

Engoli o choro. Controlei a emoção. Finalizei o evento e fui voando pra casa abraçar a Lena.

Para o jantar recebemos a visita de meus queridos tios Azizio e Yara (que nos venderam o apartamento para onde nos mudamos). Ficamos juntos até tarde. Jantar delicioso, companhia maravilhosa e o tempo voou.

Depois que eles saíram ficamos enrolando pois não tínhamos sono.

Quase não dormimos nada.

Levantamos nesta quinta-feira bem cedo e ficamos inventando coisas pra não pensar no assunto.

Chegamos ao Fórum meia hora antes do marcado. A psicóloga nos chamou em seguida e contou a história da menina. Perguntou se tínhamos interesse em conhecê-la e a resposta foi imediata: “Pode ser agora?”. Surpresa, ela ligou avisando o pessoal do abrigo e nos entregou uma autorização para conhecê-la.

Vinte minutos depois, a Lena e eu já estávamos dentro de uma sala ampla e muito agradável vendo a “Tia” Flora descer as escadas com aquele pequeno tesouro nos braços... Foi amor a primeira vista! Não tínhamos dúvida que era ela! Encontramos nossa filha! Nascida de outra barriga, com outros genes, mas totalmente nossa filha...

Após ficarmos com ela por uma hora, falamos por telefone com a psicóloga e ela nos disse: “Vou preparar os papéis para o juiz assinar. Venham para cá pra pegar e depois voltar ao abrigo para buscá-la. Hoje ela vai dormir em casa!”

Pois é, são 01:15 do dia 26/02/2010 e nossa filha Maria Eduarda está dormindo no berço dentro do meu quarto.

Há um ano e cinco meses ela nos esperava e nós esperávamos por ela...
Agora estamos juntos.

Agradecemos a todos vcs pela força, pelas orações e pelo apoio nas horas difíceis... Mas agora queremos celebrar a vida... junto com vocês!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Ando Devagar

(meio perturbado)


Ando devagar

Cansado de vagar

Finalmente, a mente a divagar

Sobre as sombras, sobre sonhos e sementes

Pelos planos, pelos lisos e enrugados


Tem um tempo, um tecido tipo trama

Meio velho, meio novo, meio a meio

Que me envolve, me revolve e me dissolve

Me torna mais, me torna menos, mais ou menos


Sou do tipo que renova, se inova nova-mente

Sou instável, confortável, inesgotável

Sou destino, já sem tino, intangível

Sou daqueles, dos sem pele, que repelem o repelente


So' queria ser mais firme

Mais coluna, mais perene

So' queria ser da estirpe

De mais doçura, demais demente


.