Be Good

Loading...

segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Motor

O que te move?
O que te comove?
O que te motiva?
O que te emociona?

O que te faz ir adiante?
O que mexe contigo?
O que te inspira?
O que toca teu coração?

Qual teu motor?
O que te faz ser assim?

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Palavras que...

.

inspiram também oprimem

libertam também aprisionam

revelam também escondem

declaram também confundem

expressam também enganam

curam também adoecem

limpam também sujam



resistem também sucumbem

preparam também procrastinam

aquecem também queimam

refrescam também congelam

conectam também desligam

agregam também excluem

compartilham também eliminam



inocentam também acusam

escapam também retêm

escorrem também represam

aproximam também afastam

reúnem também espalham

distribuem também restringem

salvam também condenam



Palavras são revelações, e também mistérios.

Palavras são significados, sempre em busca de sentidos.


.

terça-feira, 5 de maio de 2015

O dia que virei case.

.

Aeroporto, trânsito, pressa, uma coisa leva a outra: atraso.

A produtora tenta me tranquilizar: "O cliente ainda não chegou... te esperamos na recepção do 8o. andar."

Estacionamentos lotados, não tem vaga na rua, taxista me dá luz alta e me xinga.

Posto de gasolina, loja de conveniência, frentista bacana: "depois a gente acerta!"

Duas quadras, Whatsapp: to chegando!

Garoa chata, prédio bacana, piso de mármore, gordinho atrasado correndo‪#‎plaquinhaamarelapraquê‬?

Escorregão! Leve como uma pena...

A bunda dói. Tudo gira. A cabeça dói! Tudo gira. Queria ser invisível.

Todo mundo rindo. Executivo segura a risada, larga a mochila e ajuda o gordinho a levantar...

Vergonha, agradecimento, credenciamento, constrangimento, elevador, finalmente 8o. andar!

Equipe em pé morrendo de rir com o cliente que acabava de contar como ajudou um gordinho a se levantar na recepção: "Tadinho... tava correndo, parecia atrasado, não viu o aviso do piso molhado e caiu!"

Virei case.


.

SONHOS - 2

.

Sonhei que sonhava meus sonhos.

Então, para não esquecê-los quando acordasse, passei a amarrá-los com caneta em um caderninho velho que eu deixo ao lado da cama.

Quando acordei, corri pra pegar o caderninho e ir desamarrando um a um os coitadinhos.

Não deu certo. Nas páginas do caderninho só encontrei as velhas linhas e manchas esquecidas.

Percebi que os sonhos que eu sonho não se deixam aprisionar... Meus sonhos não passam de rabiscos e desejos que nem eu mesmo entendo.



.

SONHOS - 1

.


Tinha tantos sonhos que já não dormia.

Foi assim que os pesadelos passaram a assombrá-lo.


.

sábado, 31 de janeiro de 2015

Meu Credo

.

Acredito no talento, na dedicação, no merecimento, na justiça... 
E que o amor é maior que tudo isso.

Acredito na dor, na tristeza, na angústia, no sofrimento…
E que o amor é maior que tudo isso.

Acredito no possível, no impossível, na sorte, no acaso… 
E que o amor é maior que tudo isso.

Acredito na poesia, no mistério, no sentido, nos significados... 
E que o amor é maior que tudo isso.

Acredito na parceria, na jornada, na festa, na alegria... 
E que o amor é maior que tudo isso.

E acredito que o amor não existe sem ação… 
Acredito no amar.

.

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Palavras

"Nem só de pão viverá o homem..."

Palavras são limites

Limites são palavras

Palavras são caminhos
Caminhos são palavras

Palavras são viagens
Viagens são palavras

Palavras são mistérios
Mistérios são palavras

Palavras são revelações
Revelações são palavras

Palavras são limites
Limites são palavras

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Aquilo

Um misto de conto e crônica bem curtinho que escrevi.

Já não havia sentido continuar com aquilo.

Ela mal chegava em casa e já sentia que aquilo era demais para ela.

Toda vez que ele começava com aquilo, ela sabia: nada valia aguentar aquilo.

Aquilo dava a ela vontade de vomitar.

A primeira vez que ele fez aquilo, ela quase nem percebeu. Não deu nem tempo de pensar. Quando viu, ele já tinha feito.

Eles se conheceram muito jovens e logo engataram o namoro. Aquilo fazia parte de um lado oculto dele que ela não conhecia. Logo se tornou um segredo dos dois. Ela não gostava, sentia nojo, mas, por amor, suportava tudo aquilo calada. Suportou por muito tempo, mas agora já não aguentava mais.

A vontade dela era sair gritando, revelando a todos o segredo podre dele. Mas e a vergonha? Todos saberiam o que ela tem acobertado por tanto tempo. Ela era cumplice.

E como lidar com o fato de que, por muito tempo, ela também chegou a se divertir com aquilo. Fez até piada. Provocou. Pediu. E ela mesma, muitas vezes também fez aquilo.

Aquela noite era diferente. Vinte e cinco anos de casamento mudam qualquer um. Ela estava diferente. Havia voltado da terapia muito certa de si. Sabia que nunca mais iria mais tolerar aquilo. Era a hora do basta!

Entrou em casa e era evidente que ele estava fazendo aquilo. Ela queria vomitar. Juntou forças e foi até a sala. Ele estava lá, com seu prazer mórbido e sua alegria suja.

Ela estava muito nervosa, quase não respirava. Num ímpeto de coragem colocou pra fora todos os anos de constrangimento, humilhação e angústia.

Olhando firmemente nos olhos dele, sentindo a garganta apertada e os olhos ardendo, ela finalmente disse:

- Não aguento mais viver assim! Não aguento mais você com isso! Pelo amor de Deus, quer peidar, vai pro banheiro!



terça-feira, 14 de maio de 2013

Rir até a barriga doer


a criança e o velho em mim

"Rir até a barriga doer."

Ouvi essa frase essa semana quando conversava com um amigo sobre coisas que gostávamos de fazer quando éramos crianças.

Essa semana completei 44 anos.

Percebi que realmente estou ficando velho pois, ao assistir um vídeo de um humorista famoso, comecei a rir, rir, rir, até que comecei a sentir dor na barriga.

Como eu ria descontroladamente, minha reação no meio de tanta risada, foi escrever no Tablet "Liga 193 e chama a ambulância" pois, dentro de mim eu pensava "Será que a dor é na barriga ou no peito? Eu tenho que me controlar senão vou acabar tendo um infarto!"




.